in

A era metaverso no marketing: como as empresas estão reagindo a este novo modelo de experiência

No mundo metaverso, as pessoas poderão interagir e realizar qualquer atividade do mundo real. Você vai poder trabalhar, fazer compras, jogar e se divertir. Além disso, as grandes empresas de tecnologia acreditam que esse modelo de experiência vai transformar a comunicação humana. Espera-se, portanto, que os processos de comunicação entre empresas e pessoas sejam cada vez mais ágeis e que a tecnologia, mais uma vez, beneficie a todos. No entanto, como as empresas estão reagindo a esse novo modelo de experiência? 

Neste post, vamos responder essa pergunta. Você também vai entender de uma vez por todas o que é o universo metaverso e conferir algumas organizações que já aderiram ao universo virtual.

E aí, ficou interessado no tema do nosso artigo? Então, acompanhe a leitura e veja se você e a sua empresa estão preparados para essa nova realidade que vem por aí.  

O que é metaverso? 

No universo metaverso, as pessoas poderão usar avatares para interagir entre si. No entanto, para que esse mundo seja criado, serão necessárias várias tecnologias como a realidade aumentada, a realidade virtual, criptomoedas, redes sociais, etc.

Entretanto, o termo metaverso não nasceu em 2021. Em 1992, o autor Neal Stephenson usou esse conceito em seu romance de ficção científica “Snow Crash”. O autor imaginou avatares realistas que se encontravam em edifícios 3D e outros ambientes de realidade virtual. Desde então, vários desenvolvimentos marcaram o caminho em direção a um metaverso real, como você verá nos próximos tópicos do nosso artigo. 

Como funciona o metaverso? 

Este conceito integra o mundo virtual e o mundo real. Os usuários vivem em um universo digital, onde trabalham, divertem-se e permanecem conectados com os amigos. 

No entanto, para o criador da recém-nomeada Meta (Facebook), Mark Zuckerberg, pode demorar até dez anos para os principais recursos do metaverso se tornarem populares. Porém, alguns aspectos desse universo virtual já existem. Veja: 

  • velocidades de banda larga ultrarrápidas;
  • fones de ouvido e óculos de realidade virtual;
  • mundos on-line, mas que não estão acessíveis a todos. 

Ao mudar o nome do Facebook para Meta, Zuckerberg prevê um mundo virtual em que os avatares digitais se conectam, viajam e se entretêm usando fones de ouvido e óculos de realidade virtual.

Quais os impactos do metaverso para a experiência do cliente? 

O metaverso cria novas possibilidades de faturamento para grandes companhias. Empresas de vários segmentos já investem no metaverso. Veja alguns exemplos: 

Disney

A moeda do Tio Sam oferece acesso aos parques de diversão mais famosos do mundo. No entanto, a proposta da Disney é construir um mundo que conecta as experiências físicas e digitais. Assim, a empresa cria oportunidades para que os consumidores tenham acesso aos produtos e às plataformas da Disney em qualquer lugar do mundo. 

Microsoft

A Microsoft usa hologramas e desenvolve aplicativo de realidade mista e estendida (XR). A empresa conta com uma plataforma que abrange o mundo real e a realidade aumentada e virtual. A ideia é propor aos clientes uma realidade mista.

Em 2022, a empresa vai incluir hologramas e avatares virtuais para o seu time. Também espera-se que se criem espaços virtuais 3D para varejo e até locais de trabalho. 

Roblox 

É uma plataforma de jogos gerados por usuários. Ela inclui ofertas de RPG como Bloxburg e Brookhaven, em que os usuários constroem casas, jogam em cenários e até trabalham. 

Entretanto, a empresa foi além do que já oferece ao usuário. Ela se associou a uma companhia de calçados para skate e criou o Vans World, um parque virtual de skate onde os jogadores usam roupas novas da Vans. 

Também abriu um espaço onde as pessoas experimentam e compram roupas e acessórios para o seu avatar. 

Minecraft 

Outra experiência do metaverso é o Minecraft. Ele também é uma propriedade da Microsoft, só que voltado para as crianças. A proposta é parecida com o mundo digital do Lego, no qual os jogadores criam o seu próprio personagem digital e constroem o que desejam. 

Nike 

A Nike também se prepara para o metaverso. Ela já registrou nomes, símbolos e frases para usar nesse novo universo. A empresa que fabrica roupas esportivas já tinha comprado uma patente de sapatos colecionáveis virtuais e agora disponibiliza alguns designs do Air Jordan 1 no Fortnite. 

EWG Virtual

A EWG Virtual é como um braço da Elite World Group. Recentemente ela se associou a outra empresa e transformou as suas modelos em avatares virtuais. A modelo e influenciadora Jasmine Sanders, por exemplo, foi a primeira a utilizar as criações das marcas parceiras. 

A proposta da empresa é criar avatares das supermodelos e colocá-las em ambientes virtuais. A empresa também quer produzir jogos. 

Bebidas

Até a Coca-Cola está atenta ao metaverso. A prova disso é que a marca, em parceria com a Friendship Boxes, apresentou uma jaqueta bolha para ser usada no mundo virtual. 

Também tem um cartão-amizade e um visualizador de som que produz um áudio de uma garrafa abrindo, tudo para lembrar do mundo real e dos elementos essenciais da marca Coca-Cola para o mundo virtual. 

Como o metaverso pode impactar a nossa vida? 

O metaverso vai impactar a todos, desde quem usa a internet para divulgar os seus produtos e serviços até os profissionais da área de marketing. Assim, o metaverso vai conectar pessoas que estão longe fisicamente e criar experiências mais naturais de interação. Assim, a proposta é que a plataforma virtual seja utilizada para as mesmas atividades do mundo real, ou seja, os avatares poderão fazer muitas atividades no universo metaverso. Desta forma, as margens do mundo físico e do digital serão praticamente ilimitadas. 

Portanto, o metaverso abrirá portas para as experiências criativas e permitirá que as marcas tenham mais oportunidade de contar histórias, interagir com as pessoas e até serem mais emotivas. 

Como você viu neste conteúdo, o metaverso já é uma realidade. Entretanto, será que a sua empresa está preparada para essa mudança? É por isso que existem especialistas no digital como a Forrest, que podem te auxiliar com as mudanças que estão vindo por aí. 

Gostou do conteúdo? Leia o nosso próximo post e saiba por que a Apple não permite que vilões usem os seus produtos em filmes. 

Escrito por Forrest

Utilizamos dados para produzir nossa estratégia de marketing, para saber não só quantas pessoas acessam seu conteúdo, mas, verdadeiramente, quem são elas.

Comentários

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Loading…

0

Comments

0 comments