in

A Web Summit começa hoje (e o que esperar dela)

A pandemia trouxe um novo desafio à Web Summit que, desde de 2015, tem sido realizada em Lisboa. Se até aqui as dificuldades passavam pela logística e tecnologia necessárias para receber 70 mil visitantes, este ano o desafio passou a ser realizar o evento em plena pandemia e, consequentemente, em segurança. Assim, os dias 2, 3 e 4 de dezembro trarão uma Web Summit diferente das anteriores, com todas as suas atividades como palestras, workshops, networking, entre outras coisas, a serem realizadas de forma totalmente online.

Como vai funcionar?

Para este novo formato a organização do evento, que este ano conta com mais de 100 mil participantes e 800 oradores, foi necessário criar uma experiência chamada two-screen experience (experiência de dois ecrãs). Assim, cada participante terá acesso a duas aplicações, uma para celulares, outra para web browser (navegador no computador), sendo que só é possível ter acesso à segunda através da primeira.

O objetivo é que o participante possa assistir a palestras ou uma das muitas outras atividades num ecrã, o do computador, ao mesmo tempo que é possível conectar-se com outras pessoas ou entidades, consultar calendário ou procurar contatos, no outro ecrã, o do celular.

A organização procurou replicar parte da experiência que o evento físico proporciona e, para isso, criou novas funcionalidades como a possibilidade de comentar nas transmissões e iniciar discussões que, por sua vez, possam dar origem a novos contatos.

Adicionalmente, o algoritmo da aplicação para web browser vai possibilitar juntar duas pessoas que tenham os mesmos interesses e colocá-las numa videochamada durante três minutos, através de uma funcionalidade intitulada Mingle. Ao final desses três minutos, o algoritmo encontrará uma outra pessoa para outros três minutos de conversa e assim sucessivamente.

Outra das novidades é o fato de continuar a ser possível “visitar” os espaços das várias empresas presentes e até conversar com membros das suas equipes (online, claro).

O que ver?

Nos anos anteriores, o evento físico, até então realizado na FIL e Pavilhão Atlântico, dividia as suas atividades por pavilhões, ficando cada pavilhão associado a um tema. Semelhante a essa estrutura, o evento online terá 5 canais, que funcionarão como uma espécie de pavilhões online. Cada canal terá palestras, workshops, sessões de perguntas e respostas, pitch, fireside talks (conversas informais com duas a três pessoas). O que você pode encontrar em cada canal? Seguem abaixo algumas sugestões:

Channel 1 – Centre [Canal 1 – Centro]

Este é considerado o canal central da programação do evento e propõe uma mistura de conferências e palestras sobre a forma como várias indústrias podem ser impactadas pela tecnologia. Especialistas em medicina, publicidade, política, entretenimento, entre outros, vão falar da forma como a tecnologia irá definir o mundo para futuras gerações.

Para além disso, será aqui a realização cerimônia de abertura, iniciada pelo fundador e CEO Paddy Cosgrave, e seguida pelo Primeiro-ministro, António Costa e o Presidente da Câmara de Lisboa, Fernando Medina.

No mesmo dia, pouco depois da abertura, haverá a fala da visão que a atual Presidente da Comissão Europeia, Úrsula von der Leyen, tem da Europa. No dia seguinte, dia 3, poderemos ouvir Renata Quintini, da Renegade Partners, e Tim Draper, da Draper Associates, representantes de duas das maiores empresas de capital de risco do mundo, sobre onde os investidores tem investido durante o período em que vivemos.

Para além disso, passarão ainda por este canal nomes bem conhecidos do público em geral, como é o caso do diretor Ridley Scott (que dirigiu filmes como Blade Runner, Alien e Gladiador), Aaron Paul e Bryan Cranston (atores que protagonizaram a série “Breaking Bad” e que criaram uma marca de mezcal) e a atriz Gwyneth Paltrow, fundadora da marca de lifestyle goop.

Channel 2 – Creators [Canal 2 – Criadores]

Este canal receberá mentes criativas de todo o mundo e ligadas a diversas áreas, que irão discutir e apresentar formas de proteger ou impulsionar a criatividade num mundo cada vez mais definido pela tecnologia. Assim, entre outras coisas, poderemos ouvir Scott Belsky, Chief Product Officer na Adobe a falar da criatividade como o verdadeiro capital na era do teletrabalho (2 de dezembro) e o jogador do Tottenham, Eric Dier, conhecido pelas competências que usa no relvado (Pitch em inglês), irá mostrar competências em outro Pitch [apresentação rápida de um negócio ou produto, com a intenção de “vender”] com o seu novo negócio Spotlas (2 de dezembro).

Outro dos principais pontos de interesse será o treinador José Mourinho, que irá receber o prémio de inovação no Esporte no dia 3 de dezembro.

Channel 3 – Society [Canal 3 – Sociedade]

No canal dedicado aos tópicos emergentes da sociedade atual, líderes e políticos de todo o mundo falam do ano atípico que vivemos. Como a tecnologia pode ajudar a ultrapassar os muitos desafios que vivemos hoje?

A título de exemplo, neste canal será possível ouvir o Presidente da Câmara de Lisboa, Fernando Medina, sobre como tornar as cidades mais saudáveis, mais sustentáveis e mais coloridas (3 dezembro); ou assistir a uma conferência sobre como pequenos negócios podem se manter (4 dezembro), com o fundador e CEO da empresa Melio, uma empresa que oferece uma ferramenta de faturação e gestão de tesouraria direcionados para pequenos negócios.

Teremos ainda Ruth Andrade, Diretora de Sustentabilidade da Lush, que vai conversar com Brian Collins (Fundador e Chief Creative Officer da Collins) e com Pia Heidenmark Cook, Chief Sustainability Officer do Ikea, para falar sobre a necessidade de retrabalhar o tema sustentabilidade enquanto marca.

Channel 4 – Builders [Canal 4 – Construtores]

Este será um canal que vai reunir programadores, data scientists, fundadores de empresas e CEO’s globais para conversas sobre o futuro da tecnologia e dos negócios.

Aqui será possível conhecer a história do conhecido DJ David Guetta durante a pandemia (2 de dezembro) ou a do CEO da startup Freshworks, que se transformou num unicórnio [empresa avaliada em mais de 1 bi de dólares, cerca de 834 milhões de euros] (2 de dezembro).

Chanel 5 – Portugal [Canal 5 – Portugal]

Este ano, a Web Summit terá um canal dedicado às principais vozes portuguesas em vários setores de atividade e que falarão do papel de Portugal na comunidade global de tecnologia.

Assim, poderemos assistir à conversa entre Stephan Morais, investidor e diretor-geral da Indico Capital Partners (uma das maiores empresas de capital de risco portuguesas), Sofia Santos, Partner na Faber (outra das maiores empresas de capital de risco em Portugal) e o repórter Diogo Ferreira Nunes, sobre o tipo de negócios e industrias que terão mais probabilidades de sucesso na procura de investimento em 2021 (2 de dezembro).

Será também neste canal que serão anunciados os vencedores do AI Moonshot Challenge, um concurso que procura ideias disruptivas que aliem dados de satélite e Inteligência Artificial e permitam a detecção de plástico nos Oceanos (3 de dezembro). No último dia (4 de dezembro), teremos também, o Ministro da Economia, Siza Vieira , o jogador de futebol Ricardo Quaresma, o diretor da Startup Portugal, João Borga e a Secretária de Estado do Turismo, Rita Marques.

*Este texto foi produzido pela Startup Portugal e teve a reprodução e edição autorizada.

Forrest

Escrito por Forrest

Utilizamos dados para produzir nossa estratégia de marketing, para saber não só quantas pessoas acessam seu conteúdo, mas, verdadeiramente, quem são elas.

Comentários

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Loading…

0

Comments

0 comments