in ,

A produção de conteúdo é refém do algoritmo?

Você já deve saber o quanto a produção de conteúdo é importante para os dias de hoje, não é verdade? Com um conteúdo estratégico, você atrai pessoas e conquista clientes. No entanto, muitos questionam sobre o algoritmo e a produção de conteúdos. 

Será que o algoritmo influencia no alcance dos seus conteúdos? Neste post, você vai entender o que é o algoritmo, como ele funciona e por que você deve se preocupar em produzir conteúdos que geram valor às pessoas. 

E então, quer conferir tudo com a gente? Acompanhe a leitura do post. 

O que é o algoritmo? 

O termo algoritmo nasceu com a matemática. Ele funciona como um conjunto de etapas que você precisa cumprir para chegar ao seu objetivo.

Imagine que você tem um notebook novinho e deseja usar o aparelho. Para isso, o que você faz? Consulta o manual do equipamento e segue todas as instruções, certo? Este manual é como o algoritmo. Ele te ajuda a alcançar o objetivo que é aprender a usar o notebook da forma correta. 

Quais são as possibilidades de uso do algoritmo? 

O algoritmo é usado no Google e nas redes sociais, como vamos explicar a seguir. 

Google 

É um algoritmo bem conhecido. Chamado de PageRank, foi criado em 1998 para rastrear e apresentar resultados de pesquisa ao usuário. Antes, o Google considerava um site relevante de acordo com a quantidade de sites apontados para ele. Com isso, era fácil burlar os resultados e aí surgia o black hat, que é uma prática usada de má-fé para enganar o algoritmo. No entanto, os anos se passaram e o algoritmo do Google sofreu mudanças.

Atualmente, um artigo é rankeado no Google, levando em consideração a produção de conteúdo inteligente que alia informação e tecnologia. Portanto, quanto mais você entregar um conteúdo de valor, que ajuda quem visita o seu site, melhor. 

No entanto, além do conteúdo, é preciso pensar nas preferências do usuário, ter um site responsivo (que se adequa a qualquer tipo de dispositivo) e aplicar técnicas de SEO no texto. 

Facebook 

Você já deve ter escutado falar no algoritmo do Facebook. A rede social foi a primeira a usar os algoritmos para definir os posts que seriam exibidos pelos usuários. O objetivo é mostrar os conteúdos que levam em consideração o comportamento e o engajamento do usuário. 

As preferências de quem acessa a rede também são importantes para o algoritmo. Assim, o Facebook adotou milhares de critérios e definiu a composição do feed. No entanto, os critérios mais usados são:

  • contato do usuário com o autor do conteúdo;
  • engajamento das conexões da rede com a publicação;
  • engajamento do usuário de acordo com o comportamento prévio;
  • relevância e engajamento do usuário com o Facebook.

Twitter

O algoritmo do Twitter não determina o feed. No entanto, ele considera a preferência do usuário e os formatos de conteúdo para determinar o alcance dos tweets na rede social. 

O relacionamento do usuário com a conta que postou o tweet também é importante, assim como o seu comportamento e engajamento. 

A partir desses critérios, o tweet pode ser inserido nas seguintes categorias: 

  • tweets rankeados: baseados no comportamento prévio do usuário e em seu engajamento com a rede;
  • caso você tenha perdido: tweets relevantes, porém antigos;
  • timeline: local onde os tweets são exibidos em ordem cronológica. 

Com toda essa estrutura, o usuário acessa a maior parte dos conteúdos e fica por dentro das novidades da rede social. 

Instagram 

O Instagram seguia a ordem cronológica do Twitter e exibia todas as postagens por ordem. No feed, apareciam as mais novas e depois as mais antigas. Entretanto, a estrutura mudou e hoje a rede social considera os seguintes fatores para mostrar os feeds dos usuários: 

  • temporalidade: ordem de postagem do feed;
  • engajamento: comentários, curtidas, compartilhamentos e salvamentos que o seu post recebeu;
  • frequência de postagem: calendário de produção de conteúdo. Não adianta você postar em uma semana e na outra não ter novidades em seu feed;
  • hashtags: use hashtags que realmente têm a ver com o seu público e evite as genéricas;
  • recursos do Instagram: o algoritmo gosta quando você usa stories, IGTV, reels, lives e os recursos que são lançados no momento.

YouTube

Quando foi criado, era mais fácil ranquear um vídeo no Youtube, pois você só tinha que publicá-lo para ter o alcance desejado. No entanto, alguns produtores de conteúdo começaram a apelar para chamadas sensacionalistas, o que fez a rede social rever o seu algoritmo. 

Hoje, o algoritmo considera o tempo médio de visualização e incentiva as boas práticas de SEO. Com isso, o site garante aos usuários mais qualidade de conteúdo e assegura uma boa experiência de navegação. 

Como o algoritmo está presente em nosso dia a dia? 

Como você viu no tópico anterior, o algoritmo está presente nas plataformas digitais e nas redes sociais. Eles também são usados para: 

Pesquisa no Google 

Você digita uma palavra-chave no Google e o buscador filtra milhões de páginas na internet e te mostra exatamente o que você deseja. Aqui, a produção de conteúdo estratégico faz toda a diferença.

Entenda que quanto mais você entregar um conteúdo de qualidade às pessoas, mais chances o seu artigo terá de aparecer nas primeiras posições do buscador. 

Trabalho na Bolsa de Valores 

Você sabia que os algoritmos também são usados para analisar a Bolsa de Valores? Eles ajudam na tomada de decisões mais rápidas, ou seja, colaboram com o trabalho dos profissionais. 

Por que você deve conhecer o ambiente digital e as técnicas de produção de conteúdo? 

Quando você conhece o ambiente digital e as técnicas corretas de produção de conteúdo, aumenta a sua assertividade e a probabilidade de sucesso do seu negócio, isso porque você aprende a trabalhar com as plataformas digitais, produzindo textos que “agradam os algoritmos”. Portanto, use técnicas que são realmente necessárias para que o seu conteúdo seja rankeado.  

O SEO é uma dessas técnicas. Ele ajuda a alcançar as primeiras posições do Google e entrega conteúdo para quem realmente precisa. 

Uma das linhas de trabalho da Forrest é focada em SEO, trazendo mais tráfego para os sites dos clientes e, consequentemente, mais oportunidades de conversão. Veja o case da Universidade Veiga de Almeida que, em 2021, através dessa estratégia, conseguiu gerar mais de 1,7 milhão de sessões e 40 mil conversões a partir da entrada orgânica.

E então, viu como a produção de conteúdo não é refém do algoritmo? Concluímos que, para você alcançar os seus objetivos, é necessário produzir um conteúdo estratégico e que se encaixe na plataforma que você deseja publicar. 

Se a sua empresa deseja iniciar ou dar continuidade a este trabalho, conte com a Forrest para trilhar um caminho com resultados mais estratégicos e assertivos. 

Gostou do nosso artigo? Leia o nosso próximo post e saiba como encontrar um bom influenciador para a sua marca.

Escrito por Forrest

Utilizamos dados para produzir nossa estratégia de marketing, para saber não só quantas pessoas acessam seu conteúdo, mas, verdadeiramente, quem são elas.

Comentários

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Loading…

0

Comments

0 comments